Bruna de Oliviera

A proposta do presente escrito é sistematizar leituras referentes às diferentes possibilidades de desenvolvimento de revisão de literatura com o propósito de introduzir o tema para quem está dando seus primeiros passos na formação em pesquisa. 

Revisão de literatura é o primeiro passo a ser realizado em uma investigação científica. A revisão de literatura oportuniza o entendimento sobre o conhecimento produzido em determinado assunto. Contribui para que não haja “retrabalho” e/ou “duplicidade” com relação a trabalhos possíveis de serem realizados em universidades, institutos de pesquisa ou núcleos tecnológicos. Não há problemas em se replicar estudos já realizados, é por meio dessas ações que consolidamos métodos e protocolos de pesquisa, fortalecemos ou refutamos hipóteses, teorias e conceitos, a ciência também é formada por essas práticas. A questão é identificar como essa replicação pode contribuir para a continuidade do debate construído até o momento.

É reconhecido que a ciência não é um fenômeno linear evolutivo, diferentes matrizes de conhecimentos chegam em conclusões semelhantes, assim como, ramos próximos entre si podem se distanciar e/ou seguir caminhos diferentes conforme os processos e abordagens de estudos escolhidos. Em suma, perceber a importância dessa imersão para conhecer os percursos que pesquisadores e pesquisadoras já passaram em seus estudos e pesquisas nos permite trilhar nosso próprio caminho investigativo com mais segurança, além de também ser uma expressão de empatia e respeito aos acúmulos realizados na ciência até aqui. 

Reforçando, por meio de uma revisão de literatura bem realizada é possível:

  • Entender o conhecimento produzido em determinado tema;
  • Acompanhar a evolução das publicações publicadas na comunidade acadêmica;
  • Direcionar os horizontes de novos estudos e/ou pesquisas;
  • Respaldar decisões e/ou condutas profissionais, especialmente entre profissões do campo da saúde.

Por vezes, essa pode parecer uma tarefa fácil e/ou com pouca relevância. Contudo, é insipiente recorrermos apenas aos sites de busca com qualquer palavra para procurar o que queremos. Precisamos ter alguma garantia que nossa pesquisa está sendo abrangente o suficiente para a pesquisa que queremos desenvolver. Em função disso, uma boa revisão de literatura deve ser realizada a partir de alguns protocolos de busca. As metodologias de revisão de literatura são eficientes para garantir que o/a pesquisador/a não fará uma busca restrita a partir de fluxos espontâneos e/ou intuitivos de busca. Ela pode ser realizada a partir de diferentes metodologias com diferentes abrangências de análise entre elas. 

Há, pelo menos três possibilidades de revisão de literatura, são elas:

  1. Revisão bibliométrica;
  2. Revisão sistemática;
  3. Revisão integrativa.

Cada uma delas, tem seu nível de complexidade, abrangência de análise para compor o entendimento de como o assunto escolhido vem sendo trabalho ao longo dos anos. Em geral, essas são análises quantitativas que tangenciam aspectos qualitativos, ou seja, os dados analisados são secundários, oriundos das informações gerais dos documentos ou periódicos onde os artigos sao indexados. Na revisão bibliométrica, ocorre uma sistematização geral das informações obtidas a partir da busca de trabalhos por meio dos descritores e/ou palavras – chaves, desde o nome dos autores, formação, área de conhecimento do periódico, país língua, dependerá das motivações para realização da revisão. Os dados podem ser apresentados em formato de gráficos ou tabelas. 

Na revisão sistemática, esse dados são interpolados a fim de gerar análises quanto às tendências de estudos, categorias analíticas que surgem a partir da compilação de pesquisas semelhantes, seja pelo tema, objetivos ou métodos utilizados. Ambas as revisões bibliométrica e sistemática são utilizadas para ampliar e/ou consolidar a compreensão do comportamento de certo assunto. Tanto temas muito estudados quanto assuntos emergentes para esclarecimentos das ideias e construções conceituais. Essas revisões são como “platôs de observação” em recortes temáticos e de espaço-tempo determinados que nos permitem refletir de como avançar nas pesquisas. 

Já a revisão integrativa é considerada a mais ampla das revisões porque integra aspectos quantitativos e qualitativos dos trabalhos compilados. Esta última proposta de revisão vai além das informações gerais dos documentos, considera também conceitos, objetivos e métodos utilizados na literatura do tópico estabelecido para análise. 

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES

Aqui, apresentamos em tópicos as etapas possíveis para realização da revisão de literatura. Para aprofundamento sobre as etapas de cada revisão procure referência específica sobre cada uma. Ao final deste documento há algumas sugestões de leituras.

  1. Comece com a definição do tema/recorte e/ou problema a ser entendido;
  2. Identifique os melhores descritores, palavras chaves e/ou elementos de buscas que melhor se adequam aos trabalhos que se quer encontrar;
  3. Realize o levantamento dos bancos de dados e/ou plataformas de busca para encontrar os trabalhos;
  4. Estabeleça os critérios de inclusão e/ou exclusão dos trabalhos que irão compor seu banco de dados para descrição e análise conforme a metodologia da sua revisão;
  5. Defina quais elementos são pertinentes de serem descritos, analisados e/ou interpolados. 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

A revisão de literatura, quando bem desenvolvida, é uma importante contribuição acadêmica tanto para quem a fez quanto para a comunidade científica que pode fazer uso dessa sistematização. Os trabalhos utilizados para elaboração deste documento apresentam diferentes possibilidades de apresentação dos dados coletados tanto em formato de tabelas quanto de gráficos. Você não precisa fazer uso de plataformas pagas de sistematização para realizar uma boa revisão de literatura, o primordial é ter clareza dos seus descritores e palavras chaves utilizadas para a busca, bem como, definir e registrar seus criterios de inclusao ou exclusao do banco para as posteriores análises. 

As metodologias de revisão de literatura citadas no texto podem ser utilizadas integradas, uma complementando os resultados da outra gerando uma revisão coesa, consistente e pertinente para o passos seguintes de estudos, pesquisas ou condutas profissionais. Espera-se que este resumo desmistifique o imaginário de dificuldade no desenvolvimento de uma revisão de literatura, como também, auxilie nas incursões para realização dessa etapa de pesquisa. 

LEITURAS UTILIZADAS

MEDEIROS, I. L. VIEIRA, A. BRAVIANO, G. GONÇALVES, B. S. Revisao Sistematica e Bibliometria facilitadas por um Canvas para visualizaçao da informaçao. Revista Brasileira de Desing da Informaçao – INFODESING. São Paulo, 2015

MOSCARDI, E. PINTO, M. GOMES, E. NAKATANI, M. O uso das revisoes bibliometrica, sistematica e integrativa de literatura para compreender o conceito de informacao turistica. Revista Turismo e Desenvolvimento.  São Paulo, 2017

RAVELLI, A. P. X. FERNANDES, G. C. M. BARBOSA, SIMÃO, E. SANTOS, S. M. A. MEIRELLES, B. H. S. A produção do conhecimento em enfermagem e envelhecimento: estudo bibliométrico. Revista Texto & Contexto Enfermagem. Florianópolis, 2009.

SAMPAIO, R. F. MANCINI, M. C. Estudo de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Revista Brasileira de Fisioterapia. São Carlos, 2007. 

TOLVES, T. RIGHI, G. A. BALBINOT, I. SIGNORI, L. U. SILVA, A. M. Bibliometria da fisioterapia no Brasil: uma análise baseada nas especialidades da profissão. Revista Fisioterapia e Pesquisa. São Paulo, 2016.

LEITURAS COMPLEMENTARES

  • Manual REVISÃO BIBLIOGRÁFICA SISTEMÁTICA INTEGRATIVA: a pesquisa baseada em evidências | LINK DE ACESSO
  • Como fazer uma Revisão Sistemática & Análise Bibliométrica | LINK DE ACESSO 

Passo-a-passo para construção da Revisão Sistemática e Bibliométrica utilizando a ferramenta Endnote. V3.00 | LINK DE ACESSO